A garota que dá um show de solidariedade – Marina

Uma criança que aos cinco anos e meio não resiste a um gesto de solidariedade, por natureza é um ser especial que vive entre nós. Temos muito que aprender com Marina Cunico, até um livro ela já escreveu para contar suas aventuras nessa jornada de ação social e atitudes inspiradoras.

O seu primeiro gesto pedir à sua mãe para cortar os cabelos e doar para a confecção de uma peruca a ser usada por pessoas em tratamento de câncer. Isso depois de reparar numa prima que estava careca e ter pedido uma explicação. Ao compreender o gesto de generosidade, foi impulsionada a fazer algo. E não parou mais.

Em suas palavras, ela percebeu o quanto é bom fazer o bem, o que ela chama de “responsabilidade social”. Cedo ela compreendeu a importância da união de pessoas que se juntam para somar forças tornando qualquer ação social possível.

Mariana abriu sua casa, com permissão da mãe, para receber doações de toda parte.  Em 2015 ela teve a ideia de formar uma lojinha com as doações para que crianças carentes tivessem acesso às compras por meio da moeda que ela mesma criou: Amores Reais. A lojinha já foi instalada por um dia em uma faculdade e um hospital de Vitória, no ES, local onde vive.

O Amores Reais é distribuído às crianças carentes que são levadas para um dia de compras. As doações chegam de toda parte em atenção aos pedidos de sensibilização social que Marina faz por meio de seu blog, canal do YouTube e acordos que consegue com seu jeito cativante de agir.

Há também o projeto de brinquedos feitos com material de reciclagem, doação de cabelos para a confecção de perucas, a lojinha e arrecadação de material escolar. Com isso Marina ajuda a distribuir esperança, ajuda a quem precisa e dá uma grande lição de solidariedade e desapego – ela prefere que as doações estejam em boa qualidade de uso.

Achou muito? Não para por aí. Marina tem no seu site um cadastro disponível para quem quiser somar colaborando de alguma forma. É possível encontrar na rede alguns vídeos de Marina, ainda menor, falando com seriedade e amor do que podemos fazer pelo outro quando não retemos o que temos a mais – solidariedade também se faz por gratidão.

Loading...