Bebê que nasceu com mecha branca no cabelo faz sucesso desde o parto

“Ela nasceu de luzes”, brincou o médico ainda dentro do bloco cirúrgico em Belo Horizonte. Mãe e filha carregam a mesma herança genética

Este ano ficará marcado pelo nascimento de três crianças que são alvos dos holofotes desde que vieram ao mundo: príncipe Louis, filho do herdeiro do trono britânico Willian e Kate Middleton; Zoe, da apresentadora Sabrina Sato e do ator Duda Nagle; e a pequena Mayah Aziz Oliveira – belo-horizontina que viralizou na internet por causa da mecha branca dos cabelos que ela carrega desde que nasceu.

“Ela nasceu de luzes”, disparou o obstetra logo após o parto. A mãe da criança, a publicitária Talyta Youssef, de 40 anos, conta que Maternidade Sofia Feldman parou para conhecer a “menina da mechinha”. Segundo ela, foi até difícil sair do hospital devido ao assédio.

— A primeira selfie dela foi tirada com minutos de vida. No dia em que recebi alta, todo mundo pedia para tirar fotos com ela.

— Foi muito especial fazer este trabalho. A mecha é um charme e a Maya é extremamente boazinha. Eu pensei em toda cenografia para destacar os fios reluzentes do cabelo dela.

Além da decoração marcada por tons brancos e prateados, um elemento natural completou as cenas: a mecha dos cabelos da própria mãe do bebê. Assim como a filha, Talyta Youssef carrega a marca desde que nasceu.

Trata-se de uma alteração na produção de melanina, conhecida como piebaldismo. A desordem genética é hereditária e já está na família de origem síria há gerações. Além das duas, o avô, a mãe dela, uma tia e dois primos têm a mesma doença.

A dermatologista Tânia Nely Rocha, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que a doença tem cura. Com tratamentos à base de corticoides e cremes é possível restaurar a cor da pele e dos fios de cabelo. Ainda assim, o protetor solar não deve ser deixado de lado.

— Tem cura, mas a família deve deixar para a própria Maya decidir se vai querer ou não permanecer com mancha. Ela pode, por exemplo, se identificar com a família e isso não ser uma dificuldade para ela.

A médica ainda alerta que a condição não causa outros problemas de saúde. Todavia, ela pode estar aliada a síndromes como de Woolf e Waardenburg, que podem provocar diferença na cor da íris dos olhos, surdez e excesso de pelos na sobrancelha.

Ciente disso, a mãe de Maya segue todas as orientações dos especialistas e não deixa de fazer os acompanhamentos médicos solicitados. Ela não teve nenhum outro sintoma detectado.

Loading...